26 de maio: O Dia Mundial do Drácula

Dia 26 de maio de 1897 foi o dia em que foi publicada a primeira edição de Drácula por Bram Stoker. Desde então se tornou a história de terror mais famosa do mundo, uma das mais adaptadas para o cinema, inspiração para milhares de outras e por isso esse passou a ser o Dia Mundial do Drácula.

Muitos acreditam que Stoker se inspirou no sanguinário Príncipe Vlad Tepes III da Romênia para criar seu personagem. O próprio nome Drácula é inspirado pela Ordem do Dragão a qual pertenceu o pai de Vlad Tepes. Apesar da lenda do vampiro ser milenar, de datar, inclusive, da Grécia Antiga, historiadores especializados em estudar esse mito conjecturam que o autor pode ter se inspirado em diversas fontes para escrever sua história. Para Raymund McNally, um dos mais famosos estudiosos sobre Drácula e vampiros, Stoker também se inspirou na Condessa Húngara, Elizabeth Bathory, que matou centenas de moças para se banhar no sangue delas e permanecer jovem. O que faria sentido, já que o Drácula de Bram Stoker é um conde e não um príncipe.

Sobre a localização do castelo no livro, Clare Haword-Maden, outra estudiosa do personagem, acredita que a inspiração veio ao autor quando ele ficou hospedado no Slain Castle, em Cruden Bay, no Reino Unido mesmo, a convite do Conde de Erroll. Mas o castelo do Drácula no livro é claramente inspirado pelo Castelo Bran, na Romênia, que acabou virando ponto turístico do país. Aliás, apenas após o sucesso do livro de Bram Stoker que a Romênia abraçou o mito de que Vlad Tepes seria um vampiro, aceitando com prazer ser o país natal do Conde Drácula, para a nossa sorte.

A verdade é que há muito mistério envolvendo o que teria inspirado de verdade Bram Stoker a escrever seu livro. Se foi mesmo as histórias violentas de Vlad Tepes, se foi o conto Carmilla, de Sheridan Le Fanu. Tudo isso contribuiu para que, 122 anos depois, Drácula ainda seja tão famoso, tão reeditado e inspiração para filmes e livros. Tanto que o autor canadense Dacre Stoker e o americano J. D. Barker tiveram o aval da família do autor para escrever Dracul, um romance especulativo sobre o que teria realmente levado Bram Stoker a escrever Drácula. Tornando esse uma prequel do livro original.

Estamos em 2019 celebrando um personagem criado em 1897, inspirado em um personagem histórico de 1448 e em um mito que existe há milênios. Com certeza Drácula merece um Dia Mundial só pra ele, por ainda despertar curiosidade e por ainda ser tão presente em nosso imaginário, que assim seja por muitos e muitos anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo
%d blogueiros gostam disto: