Agenda

maio
28
dom
Lançamento e bate-papo Quando a noite cai – São Paulo @ Livraria Saraiva Center Norte
maio 28@3:00 pm – 10:00 pm

E já temos data para nosso próximo encontro. Eu, a Briana e o seu irlandês vamos passar em São Paulo no dia 28/05.
Mal posso esperar para te ver lá!
Bjos!

REGRAS DE PARTICIPAÇÃO
– Podem participar do evento fãs que possuírem o livro do lançamento “Quando a noite cai”
– Os 200 primeiros participantes terão direito a participar do bate papo e autógrafos, os demais somente autógrafos;
– Serão permitidos 3 livros por pessoa, um deles será o do lançamento “Quando a noite cai”
– A autora atenderá até o último leitor, dentro do horário de funcionamento da loja;
– A autora só autografará livros, ou seja, não serão permitidos autógrafos em marcadores de livros, pedaços de papel, etc;
– A fila para autógrafos seguirá a ordem de chegada dos fãs, demarcada através da distribuição de senhas numeradas;

maio
30
ter
Sempre Um Papo – Sérgio Abranches (BH) @Auditório da Cemig
maio 30@7:30 pm – 9:30 pm

O Sempre Um Papo e o Sesc Santo André recebem o escritor, sociólogo e cientista político, Sérgio Abranches, para o debate e o lançamento do livro “A Era do Imprevisto” (Cia das Letras). Na obra, o autor aponta a conturbada transição que o mundo vive. Os modelos econômicos que não conseguem mais prever o que vai acontecer na economia. A estrutura produtiva que está em metamorfose. As análises políticas que erram cada vez mais. Os modelos meteorológicos que não conseguem prever secas, enchentes, nevascas, ondas de calor. O livro é uma análise dessa longa transformação. A indagação se dá em torno de três revoluções: a socioestrutural, que atinge todo o planeta e tem efeitos sobre a estrutura social, econômica e política das sociedades; a científica e tecnológica, que se dá com o surgimento de novas fontes de energia e com a digitalização da sociedade; e a climática, associada ao aquecimento global. Sem procurar respostas definitivas, Abranches dialoga com incontáveis pensadores contemporâneos para desvendar os rumos de nossa época, tão imprevisível quanto fascinante.

O evento ocorrerá no dia 24 de maio, quarta-feira,às 20h, no Sesc Santo André/SP, com entrada gratuita.

E no dia 30 de maio,terça-feira, às 19h30, no auditório da Cemig, em Belo Horizonte, com entrada Gratuita.

SÉRGIO ABRANCHES
É sociólogo, cientista político e escritor. É autor, entre outros, de Copenhague: antes e depois (Civilização Brasileira, 2010), sobre a política global do clima; e do romance O pelo negro do medo (Record, 2012).

jun
2
sex
Lançamento e bate-papo Quando a noite cai – Florianópolis @Livraria Saraiva Beira Mar Shopping
jun 2@6:00 pm – 10:00 pm

E já temos data para nosso próximo encontro. Eu, a Briana e o seu irlandês vamos passar em Florianópolis no dia 02/06.
Mal posso esperar para te ver lá!
Bjos!

REGRAS DE PARTICIPAÇÃO
– Podem participar do evento fãs que possuírem o livro do lançamento “Quando a noite cai”
– Os 40 primeiros participantes terão direito a participar do bate papo e autógrafos, os demais somente autógrafos;
– Serão permitidos 3 livros por pessoa, um deles será o do lançamento “Quando a noite cai”
– A autora atenderá até o último leitor, dentro do horário de funcionamento da loja;
– A autora só autografará livros, ou seja, não serão permitidos autógrafos em marcadores de livros, pedaços de papel, etc;
– A fila para autógrafos seguirá a ordem de chegada dos fãs, demarcada através da distribuição de senhas numeradas;

jun
28
qua
Sempre Um Papo – Amyr Klink e Marina Klink @Sesc Santo André
jun 28@7:30 pm – 9:30 pm

O Sempre Um Papo recebe o casal Amyr Klink e Marina Klink para o debate e o lançamento de seus livros “Não há Tempo a Perder” (Foz e Tordesilhas), que é um relato autobiográfico de Amyr sobre a sua trajetória de navegador e “Antartica – Um Olhar Nômade” (Editora Brasileira), com fotografias de Marina por aquele continente. O evento ocorre no dia 28 de junho, quarta-feira, às 19h30, com entrada gratuita no Sesc Santo André.

“Não há Tempo a Perder”

Pouco sabemos da história do homem por trás do mito. O que se passa na mente de um navegador que já viajou por mais de 250 mil milhas, em mares revoltos e desafiadores do mundo, enfrentando o medo, a escassez, superando desafios e sempre seguindo adiante? O que ele poderia nos dizer? O livro “Não há Tempo a Perder” destrincha a pessoa de Amyr Klink – empresário, escritor, inventor, planejador – num relato autobiográfico de um dos homens mais inspiradores do nosso tempo. No livro, o maior navegador do Atlântico Sul evoca sua experiência de vida, lembrando de momentos difíceis que precisou enfrentar ou driblar, para realizar seus planos. Passando pela sua infância em Paraty, percorrendo a adolescência e revelando as vitórias e erros que já cometeu, Amyr garante que a pressão pode ser um estímulo para sobrevivermos. Ele fala sobre a importância da resiliência, uma qualidade pouco valorizada entre nós, a necessidade de ter um planejamento, trabalhar duro e, acima de tudo, agir, ter atitude contra a burocracia, a inércia, a falta de recursos, a dúvida, o cansaço ou mesmo o desconhecimento técnico. Tudo isso com a proficiência de alguém que palestra há mais de 30 anos no meio empresarial.
Amyr Klink é formado em Economia pela USP, com pós-graduação em Administração de Empresas pela Universidade Mackenzie. É considerado o maior navegador do Atlântico Sul. Construtor e comandante de embarcações, empresário dedicado ao mundo náutico, é autor de sete livros – entre eles o best-seller “Cem dias entre céu e mar”, que já vendeu mais de 600 mil exemplares. É também palestrante disputado, há 30 anos, com mais de 2500 palestras realizadas.

“Antartica – Um Olhar Nômade”
A barreira hostil da distância, o desconforto físico, o vento, o frio, as tempestades iminentes e o imprevisível não impediram a fotógrafa brasileira Marina Klink de visitar a Antártica por 12 temporadas seguidas. Parte desse invejável acervo de imagens captadas no continente austral está no livro “Antarctica, um Olhar Nômade”. Através de suas fotografias, ela nos transporta para muito além do espaço geográfico em que se abriga os pontos mais extremos do sul do nosso planeta. Seu novo livro simboliza a ruptura do paradigma de que na Antártica tudo é branco e que ali não há vida alguma. Segundo Amyr Klink – navegador, palestrante e marido de Marina – ninguém passou mais horas suspensa a 11 andares de altura no tope dos mastros ou plantada na ponta das retrancas tentando capturar imagens novas e melhores. “A beleza assustadora provocada por ventos com mais de 100 nós, a fauna e a inusitada flora da região, a diversidade mineral, os encontros, nada lhe escapou. Entre as dificuldades clássicas que vitimam fotógrafos experientes, lentes condensadas, dedos anestesiados, borrifos de sal e granizo, nenhuma a impediu de realizar seu intento. A prova são as lindas imagens que ela nos traz neste livro”.

Marina Klink é fotógrafa ambiental e especializou-se em retratar o mundo pela perspectiva da sustentabilidade. Suas fotografias são resultado de viagens a destinos remotos e inóspitos e, através delas, traz ao público sua preocupação com a preservação do planeta. Desde 1995, já visitou a Antártica, o Ártico, África, Índia, Europa e América do Sul, regiões que foram retratadas em exposições e galerias, além de ilustrarem páginas de jornais, revistas, sites, livros didáticos e documentários.