Batismo de Sangue e Os Carbonários

Dois livros que me marcaram na minha busca por conhecer e entender o período sombrio da ditadura militar.

Há cinquenta anos o Brasil mergulhava em uma ditadura militar que duraria 21 anos. Sou de uma geração que nasceu na ditadura mas que só se lembra da democracia. Não sei dizer o que me fez me interessar pelo tema, só sei que desde o inicio da adolescência a ditadura militar me interessava, talvez já tinha consciência de que conhecer é a história é a melhor forma de não repeti-la. Tenho uma estante inteira de minha biblioteca dedicada ao tema e quando fui sentar para escrever essa coluna sobre que livros me marcaram mais fiz uma lista gigante e fui incapaz de selecionar só um e optei por selecionar dois que são um relato da luta contra a ditadura.

Começo com “Batismo de Sangue”, do Frei Betto, que conta o engajamento, tortura e morte dos freis dominicanos nesse período. O livro é ótimo, mas quem desconhece os personagens da época pode ficar um pouco perdido. Eu li no inicio da adolescência e penei um pouco para me familiarizar com alguns nomes e saber a sua importância. Esse livro foi adaptado para o cinema mas é uma adaptação fraca que não tem um décimo da força da narrativa do Frei Betto.

Frei Betto fala sobre a teoria da libertação e de como o Vaticano não a apoiava, de como as igrejas eram peça importante para a juventude que lutava contra a ditadura. Relata um período turbulento da história nacional de forma envolvente, fala do exílio e da morte do Frei Tito.

O outro livro que selecionei é “Os Carbonários”, do Alfredo Sirkis. Ele conta a sua trajetória, de como ele, Sirkis, estudante entrou na luta armada, sequestrou embaixadores para libertar presos políticos e se exilou. Sirkis retrata uma época, uma geração. Li também na adolescência e alguns trechos ficaram comigo até hoje, a descrição do primeiro de abril e os preparativos para o sequestro de embaixadores, não que o restante do livro não seja marcante, mas por algum motivo esses trechos permaneceram comigo. Sirkis escreve também sobre todo o esforço da ditadura em acabar com os grupos armados e com qualquer oposição ao governo, dá um bom panorama do que significou o AI-5.

Esses são apenas dois exemplos de ótimos livros sobre a ditadura, uma parte da nossa historia que não deve ser esquecida.

Compre aqui:

Submarino01 Saraiva Travessa Americanas Livraria Cultura

Compre aqui:

Submarino01 Saraiva Travessa Americanas Livraria Cultura

Um comentário sobre “Batismo de Sangue e Os Carbonários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *