Branca de Neve e o Caçador

Por Frini Georgakopoulos

Depois da tristeza que foi a “adaptação” de Chapeuzinho Vermelho em “A Garota da Capa Vermelha” – um dos meus contos de fadas favoritos -, fiquei muito receosa sobre a adaptação de Branca de Neve. A jovem pálida já teve uma veia cômica esse ano ao “estrelar” “Espelho, Espelho Meu” – que trouxe Julia Roberts como a Rainha Má (o que considero uma ofensa à personagem)-, mas “Branca de Neve e o Caçador” prometia uma visão mais sombria do conto que, por si só, é absurdamente macabro.

O conto original dos Irmãos Grimm é conhecido mundialmente: uma bela jovem é maltratada pela madrasta que também é bruxa e deseja ser a mais bela de todo o reino. O meio para tal é matar Branca de Neve e comer seu coração, que deve ser retirado pelo Caçador da história. Mas no conto de fadas, o Caçador se encanta com a assustada menina e não consegue matá-la. Os sete anões são umas graças e ajudam a manter Branca de Neve a salvo, o Príncipe só a encontra no final do conto (e tem versões bizarras para como ela realmente a acorda) e a Rainha Má, bem, é a personificação de todo o mal.

Em “Branca de Neve e o Caçador”, a história sofre algumas importantes mudanças que tornaram o filme interessante. Os personagens principais estão todos lá, mas apresentam um twist em cada um, um “algo a mais “que é coerente no contexto do filme e funciona muito bem. Por exemplo – e sem spoilers -, o Espelho Mágico não é louco e cego ao dizer que Kristen Stewart (a Bella de “Crepúsculo”e nossa atual Branca de Neve) é “a mais bela do reino” que tem a perfeita Charlize Theron como Rainha. Não, não é só beleza interior a que ele se refere também. A razão vai além e é muito bem explorada no desenvolver da história. Seria ainda melhor se Stewart fosse mais Branca e menos Bella. A jovem atriz ainda parece não se sentir bem em sua própria pele, pisca mais do que respira e teima em manter os lábios entreabertos. Está muito bonita como Branca de Neve, amadureceu um pouco como atriz e tem momentos bons – como algumas frases do discurso para suas tropas -, mas não convence por inteiro. Em suas primeiras cenas, até mostra certa delicadeza de princesa, mas a postura some em seguida e desaponta. Já Charlize é rainha até o último fio de cabelo e mete MUITO medo! A história de sua personagem nos dá uma ideia do porque a Rainha é Má e adiciona à trama. Claro que Charlize se empolgou no personagem e às vezes fala lento demais, dando ênfase a cada palavra para ser ainda mais má. Mas como é Charlize, e um filme sobre um conto de fadas, a gente perdoa.

O restante do elenco também não faz feio. Chris Hemsworth como Caçador é uma versão mais bronca, suja e morena de Thor, o que mais ou menos realmente é o Caçador da história, então está tudo bem. E a mulherada não vai reclamar. Sam Claflin (o religioso apaixonado por uma sereia em “Piratas do Caribe 4”) como o Príncipe Encantado traz honra para o papel e não aparece apenas para beijar Branca, o que é um alívio. Ah, sim: minha teoria dos “dois gatinhos” totalmente se aplica aqui o que vale a pergunta: onde Kristen vai, dois gatinhos sempre seguem? Sem contar que, quando ela “morre” (e não é spoiler nada!), fico esperando que seus olhos se abram, sejam vermelhos e comece a tocar Muse!

Tudo muito bem em termo de elenco, mas quem realmente faz a diferença em “Branca de Neve e o Caçador” são os anões. Beberrões, grosseiros e maravilhosos, os oito (sim, no início são oito) anões são interpretados por nomes como Bob Hoskins e Ian McShane para começo de conversa. Nada de “eu vou, eu vou, pra casa agora eu vou”!

A fotografia é belíssima e casa muito bem com os figurinos, locações, cenários. Até mesmo os momentos “eu vi duendes” funcionam no filme, que é visualmente muito bonito. A narrativa é ágil, mas tem “barrigas” no meio do caminho. Mesmo que saibamos o que vai acontecer no final, algumas alterações foram feitas aos personagens e às situações, o que deixa o público grudado em seus assentos até o final. Pena que “A Garota da Capa Vermelha” não pode seguir essa diretriz. Com certeza, teria sido um melhor filme.

6 comentários sobre “Branca de Neve e o Caçador

  1. To com a impressão que vou ter um treco na hora dos anões e da floresta encantada, rs.

    Eu to meio que ‘whatever’ para a Kristen. Não acho que UMA pessoa é capaz de estragar um filme inteiro como eu escutei já algumas pessoas falando por aí. Ela tá aprendendo, amadurecendo, é isso aí. Não gosto dela, mas não vou crucificar o filme só por causa de uma pessoa.

    Quero MUITO ver a atuação da Theron! Deve está absurda mesmo! Yay!

    Adorei!

    Bjão!

  2. Bom,não vou negar que o fato de a protagonista ser a Kristen Stewart me desanima completamente a ver o filme. Não gosto do trabalho dela de modo algum. Não me convence.Entretanto,pela história e pelo conjunto,talvez eu assista. E ver os anões numa versão menos fofa deve ser engraçado…

  3. Que desgosto essa menina sem graça e sem sal fazer um filme tão bom que nen condiz com a cara de sofrida dela …essa menina isabela ñ serv pra fazer esse filme que maconha esse diretor fumou?:?no dia que pensou em colocar ela;;;??

  4. Charlize Theron salva o filme, até porque é a única personagem com alguma densidade. Kristen Stewart tenta, tenta mas não adianta, não tem alma. O ponto positivo é o filme resgatar o tom sombrio dos contos de fadas originais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *