Como agarrar uma herdeira

“Como agarrar uma herdeira” é o primeiro de dois livros da série “Agentes da Coroa”, sendo o segundo intitulado “Como casar com um marquês”, ambos de autoria de Julia Quinn. Embora ame muito tudo que Julia escreve, ao ver os títulos desses dois, pensei que seriam bobinhos e mais amadores, já que foram escritos lá atrás, antes de Quinn criar os Bridgertons. Engano meu! Ao sofrer de abstinência pela escrita dela e para apaziguar a ansiedade enquanto espero o próximo lançamento, embarquei em “Como agarrar uma herdeira” e ainda bem que o fiz!

Julia Quinn escreve romances de época e se você, leitor, não está familiarizado com o gênero, deixe-me explicar uma coisa: você começa o livro já sabendo que ele terá um final feliz e quem vai casar com quem. O gostoso de ler esse gênero é ver o relacionamento entre os personagens, o desenvolver do romance. Adoro personagens bem criados, que nos fazem sentir que são reais. E Julia Quinn é mestre nisso.

“Como agarrar uma herdeira” já mostra a que veio na primeira página: nossa protagonista – Caroline Trent – acaba de atirar em um homem que tentava agarrá-la. E ela acertou, tá? Caroline é órfã desde muito cedo e tem passado de tutor em tutor, nenhum sendo simpático ou carinhoso. Essa vida difícil resultou em uma mulher que está prestes a completar 21 anos e terá, então, controle de sua fortuna. Mas o atual tutor não quer perder a grana e ordenou que seu filho a engravidasse, forçando assim o casamento dos dois e mantendo a fortuna. Mas Caroline mete bala no sujeito e acaba recebendo ajuda do mesmo para fugir de casa. Mas na fuga, Caroline acaba sendo confundida com uma espiã e é capturada por Blake Ravenscroft, um agente da Coroa Britânica. Claro que os dois vão se apaixonar, claro que teremos muita angst no meio e muito humor, porque esse é um ingrediente essencial em todos os livros de Julia Quinn.

“Como agarrar uma herdeira” traz, como sempre, uma protagonista feminina inteligente, bonita, mas que tem como maior atributo sua personalidade. Uma coisa que sempre achei sobre romances de época (achava sem ter lido, para ser bem sincera) era que falavam apenas de mulheres em busca de casamento e achava isso muito machista. Mas aí li Julia Quinn, pesquisei o gênero e entendi como estava equivocada. A busca pelo casamento é coerente com a época na qual se passa a história, mas a busca maior é pela felicidade, é por amor, e todas as protagonistas de Julia Quinn são dotadas de personalidades fortes e querem um companheiro para dividir a vida com amor, com carinho e interesse e não somente um cofre e fazedor de herdeiros.

E se você escreve um bom par romântico com angst, você me ganhou! E Julia Quinn, como já disse várias vezes, é rainha nisso!

O trio que estrela “Como agarrar uma herdeira” é uma delícia de ler. Caroline tem raciocínio rápido, uma língua ferina e um coração repleto de vontade de ser feliz. Blake tem um passado amargurado, tem temperamento explosivo, mas é um homem com coração pedindo para ser resgatado. E o terceiro envolvido nisso tudo é o tal marquês do segundo livro – James Riverdale – que é outra delícia de personagem, inteligente, bem-humorado e com um tom quase cafajeste, mas sem o lado ruim disso.

Para quem lê Julia Quinn há bastante tempo, ao ler “Como agarrar uma herdeira” vai sentir a diferença na escrita. Por ele ter sido um dos primeiros livros da autora, é possível ver conversas repetitivas, mas de maneira alguma ele é inferior aos “irmãos mais novos”! O livro entrega o que promete: horas de descanso, muitos suspiros e fé no romance completamente restaurada!

Mas um aviso: livros da Julia Quinn são altamente viciantes! Então tenha um próximo título da autora perto para engatar a leitura. Como já me apaixonei por James também, estou lendo “Como se casar com um marquês”, que também já me encantou nos primeiros capítulos. Em breve resenha desse também aqui.

Compre aqui:

Submarino01 Travessa Americanas Livraria Cultura

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: