Como o Brasil lê?

Nós brasileiros lemos apenas 4,96 por ano, revela pesquisa

A quarta pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil” feira pelo Instituto Pró-livro foi divulgada esse ano e monta um bom retrato da relação dos brasileiros com os livros e a leitura. Ainda lemos pouco, em média 2,43 livros inteiros por ano, se calcularmos os parcialmente lidos o número sobe um pouco, 4,96. Para os padrões aqui da Redação isso é baixíssimo.

Ruth Rocha uma vez disse que a população é dividida em três: uma parcela pequena que lerá independente de qualquer coisa; outra parcela pequena que não lerá nunca e a grande maioria que necessita de estimulo para ler. A pesquisa comprova a tese da escritora, a maioria dos entrevistados considera recomendações na hora de escolher uma leitura e o exemplo é fundamental para a formação, mães que leem e professoras são as principais influenciadoras.

A questão social também influencia, e muito, os números. Pessoas com maior escolaridade e maior renda leem mais. 51% entrevistados dizem que leem livros emprestados por parentes ou de bibliotecas publicas. As bibliotecas tem um setor só para elas na pesquisa e mostra que um dos problemas é o acervo e a falta de títulos novos disponíveis. Em um país em que livro é caro e não cabe no orçamento de tenta gente nossas bibliotecas mereciam cuidado maior.

A queda do índice de analfabetismo foi grande e mesmo assim temos um numero alto de pessoas que não leem porque tem dificuldade de entendimento ou leem muito devagar (28%). É aquele problema a pessoa é capaz de juntar letras e não de entender, são os nossos analfabetos funcionais, um problema que ainda não conseguimos combater, infelizmente.

Um dos dados mais interessantes é que somos grandes leitores quando criança e que perdemos esses leitores na adolescência. Como podemos combater essa perda? Como podemos transformar mais adolescentes em leitores? São essas as questões que a pesquisa levanta e que deveríamos cuidar com apreço, afinal, como dizia Monteiro Lobato “Um país se faz com homens e livros”.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: