Encontro da LeYa 2018

Pela primeira vez, a editora LeYa recebeu blogueiros e influenciadores para um brunch e bate-papo na sede da editora, no centro da cidade, e nós fomos convidados. Além de aproximar a LeYa/Casa da Palavra de quem produz conteúdo nas redes sociais, a equipe contou pra gente o trabalho por trás dos livros, os últimos lançamentos e as novidades que estão por vir. Confira o vídeo do encontro.

Martha Ribas, editora editorial, Izabel Aleixo, editora executiva, e Claudia Montenegro, diretora de comunicação, conduziram o brunch e as apresentações e focaram o bate-papo nos livros feitos por, para e sobre mulheres, não à toa focaram exclusivamente em influenciadoras mulheres para esse primeiro encontro. É uma preocupação da editora, inclusive, consolidar um catálogo de obras escritas por mulheres, títulos que vão desde poesia à história, passando por fantasia, memórias e psicologia.

Depois do bate-papo recebemos a honra de participar da live com a Amanda Lovelace, uma grande revelação da poesia e inspiração para todas nós. Amanda é um dos fenômenos da nova geração de instapoets – poetas que estão revolucionando a linguagem em versos por meio da publicação de suas obras no Instagram. Seus poemas são dedicados a temas bem conhecidos das mulheres como: dificuldade em se adaptar aos padrões de beleza e feminilidade vigentes, relacionamentos abusivos, busca pela identidade, violência e assédio. E ao mesmo tempo que ela toca em assuntos tão delicados, inova ao misturar suas vivências à lógica dos contos de fada, pelos quais é apaixonada desde a infância. Em A princesa salva a si mesma neste livro, ela faz um percurso sobre as várias fases de vida de uma mulher em paralelo a personagens das fábulas, despertando em quem lê um sentimento imediato de empatia e reconhecimento. Em A bruxa não vai para a fogueira neste livro, Amanda conclama as mulheres a escreverem sua própria história, se tornando sujeitas e protagonistas de suas vidas.

Você encontra o vídeo da live na página da LeYa.

Nós recebemos um kit com algumas dessas apostas que foram mencionadas no bate-papo, além dos dois livros da Amanda, e estamos empolgadíssimos para ler e resenhar todos aqui para vocês. Lembrando que já temos resenha do primeiro livro da Amanda Lovelace e entrevista exclusiva com a autora.

Conheça algumas das apostas da Editora LeYa:

Aqueles que consideram “bruxa” um xingamento não poderiam estar mais enganados: bruxas são mulheres capazes de incendiar o mundo ao seu redor. Resgatando essa imagem ancestral da figura feminina naturalmente poderosa, independente e, agora, indestrutível, Amanda Lovelace aprofunda a combinação de contundência e lirismo que arrebatou leitores e marcou sua obra de estreia, A princesa salva a si mesma neste livro, cujos poemas se dedicavam principalmente a temas como relacionamentos abusivos, crescimento pessoal e autoestima. Agora, em A bruxa não vai para a fogueira neste livro, ela conclama a união das mulheres contra as mais variadas formas de violência e opressão.

 

Uma certa história de amor, romance da escritora italiana Milena Agus, é de leitura tão suave que, num piscar de olhos, se chega ao fim. No entanto, este livro, como todas as boas histórias de amor, é cheio de segredos. Sua narrativa precisa, que não desperdiça palavras, e também apaixonada, mantém o leitor atento, curioso, ávido por apenas mais um encontro, e vai se revelando aos poucos, surpreendendo em cada detalhe. Desde o início da década de 1940 até os primeiros anos deste século XXI, acompanhamos a vida de personagens que combinam a sensibilidade do sonho e a crueza e espontaneidade do corpo. O mundo muda vertiginosamente, mas eles permanecem fiéis ao desejo de conhecer o amor verdadeiro, “a coisa mais importante que existe”.

 

Em sua primeira obra de não ficção, Fernanda Young se insere no acalorado debate sobre o que significa ser homem e ser mulher hoje. Em textos autobiográficos, ela se revela como uma das tantas personagens femininas às quais deu voz, sempre independentes e a quem a inadequação é um sentimento intrínseco. E esse constante deslocamento faz com que Fernanda seja capaz de observar o feminino e o masculino em todas as suas potencialidades. É daí que surge o Pós-F., pós-feminismo e pós-Fernanda, um relato sincero sobre uma existência livre de estigmas calcada na sobrevivência definitiva do amor, no respeito inquestionável ao outro e na sustentação do próprio desejo.

 

Mulheres do Brasil – A história não contada resgata a história de mais de 200 mulheres das mais variadas épocas que tiveram suas biografias alteradas, deturpadas ou que simplesmente sequer apareceram nos registros convencionais. Depois de desmistificar as figuras dos imperadores d. Pedro I e d. Leopoldina, o escritor e pesquisador Paulo Rezzutti se dedica a mulheres conhecidas ou ignoradas pela história do Brasil: das guerreiras às vilãs, das mulheres do poder a artistas. Também ilumina trajetórias pouco conhecidas de indígenas e negras escravizadas e avança até os dias atuais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: