Escreva como uma garota

Esse mês, participei do primeiro Retiro de Escritoras. A promessa era de dois dias de palestras interessantes ministradas por mulheres que atuam no mercado editorial brasileiro, intercalando a programação com lanches e tempo de escrita. A entrega foi muito além disso.

Antes de qualquer coisa é preciso dizer que eu sou muito chata. Acho que chata nem é a palavra certa, eu sou é muito exigente, cri-cri, enjoada quando me envolvo em algo que gosto muito. Ou seja, as expectativas estavam altíssimas para o Retiro e todas elas foram superadas muito além do que eu poderia imaginar.

Primeiro é preciso dizer que as palestras foram superiores a muitos cursos que já participei. Não sei se foi pelo fato das mulheres por trás do conteúdo manjarem muito do que estavam falando, do quão à vontade todas nós estávamos para perguntar e questionar e opinar, ou tudo junto e misturado.

Falamos sobre as diferenças entre ficção literária e comercial, sobre o que faz (e o que não faz) uma boa história, sobre criação de diálogos, personagens, conflitos e mundos. Abordamos a importância da literatura erótica tanto socialmente quanto mercadologicamente e falamos sobre agenciamento e representatividade. Em suma, falamos sobre tudo possível e imaginável e da melhor maneira possível: juntas.

Eu já conhecia algumas das mulheres que estariam no evento, tanto as autoras participantes quanto as palestrantes, outras eu conheci durante o Retiro. Somos mulheres completamente diferentes por dentro e por fora, com histórias e históricos distintos, orientações e desejos diferentes, vontades e talentos únicos. Sabe aquela noção de que mulheres estão sempre competindo entre si, de que é impossível mulheres serem verdadeiramente amigas uma das outras, e que mulheres só sabem fofocar e ficar de picuinha uma contra a outra? TUDO MENTIRA! Isso é coisa de sociedade machista na qual fui criada (e acredito que você também, se tiver mais de 30 anos) e que, graças a Deus, está mudando graças a nós e tantas outras manas que se revoltaram com essa definição mesquinha criada para nós, mas não por nós.

O Retiro de Escritoras foi a prova de que quando mulheres passam dois dias juntas, sem qualquer interferência de homens a gente se dá muito bem sim e os papos não são sobre homens, muito pelo contrário! Falamos sobre nossas criações, como vencer nossos obstáculos, demos dicas uma para outras, nos apoiamos. E aí eu entendi a razão de tantos séculos de opressão! Aí eu entendi na pele como somos poderosas juntas, sem a ditadura da beleza nos separando, sem “macho besta” no meio. Quer dizer que odiamos homens? De jeito nenhum! Só o machismo. E sim, são coisas diferentes.

O Retiro de Escritoras foi tudo que eu precisava não somente para colocar minhas ideias e projetos em ordem, como também foi um show de talento, capacidade e profissionalismo por meio das palestrantes e de companheirismo e sororidade por meio das participantes. Foi necessário, instrutivo e delicioso. Obrigada a todas as mulheres incríveis que fizeram desses dias o início de várias histórias, dentro e fora da página.

(Esse é o link do evento que rolou. Fiquem de olho no facebook das organizadoras para participarem do próximo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: