Esporte e Leitura

sexta-literaria-header-2-1

As Olimpíadas Rio 2016 começam e com elas uma pausa de 20 e poucos dias nas minhas leituras.

Sentei para escrever essa coluna com toda a intenção de falar sobre grandes temas da literatura, sobre novos autores que descobri, livros que cruzaram meu caminho, o problema é que sou uma fanática por esportes e hoje começam os jogos olímpicos Rio 2016 e eu não consigo pensar mais em nada que não seja relacionado a isso. Se existe algo que tira minha atenção de um livro é qualquer disputa olímpica, pode ser adestramento do hipismo, BMX, roquei na grama ou golfe, não importa eu estarei lá assistindo com a maior atenção.

Pelos próximos 21 dias estarei totalmente focada em assistir os melhores atletas de suas modalidades em busca do sonho olímpico. Como boa bibliófila que sou já busquei livros sobre os jogos, sobre atletas olímpicos, sobre a corrupção no COI e não consigo me interessar por nenhum. Nada disso me seduz, o encantamento dos jogos faz com que me afaste até dos livros, me transforma em torcedora pura e simples. Vocês tem algo assim? Que tira o livro da sua mão e capta a sua atenção?

É bem verdade que tem um certo exagero nesse meu retrato. No Pan de 2007 eu fui sozinha a final do futebol feminino no Maracanã, cheguei faltando uns 40 minutos para o jogo começar. Na mochila tinha a cópia em inglês de Harry Potter e as Relíquias da Morte que tinha acabado de lançar, peguei e comecei a ler, foi um erro. O jogo começou exatamente quando a batalha de Hogwarts estava prestes a começar e eu passei o primeiro tempo inteiro tensa para saber o que aconteceria na batalha e não com a Marta e a seleção brasileira feminina que estava jogando bem e tudo indicava que iria ser campeã com facilidade. No intervalo peguei o livro e devorei a batalha, li desesperadamente e não apenas pelo que acontecia com os personagens e sim pelo medo que as jogadoras voltassem a campo e eu tivesse que fechar o livro. Lembro sempre desse dia como algo especial, vi a seleção brasileira feminina ser campeã com um show de Marta e ainda mergulhei nas páginas criadas por J.K. Rowling, tudo ao mesmo tempo.

Ler a batalha de Hogwarts no Maracanã pode ser o mais marcante momento de leitura em estádios para mim, mas está longe de ser o único. Já li muitos capítulos no Maracanã enquanto aguardava o meu Fluminense entrar em campo ou no intervalo do jogo. Maracanãzinho também já foi palco de algumas leituras, jogo de vôlei tem um monte de intervalos e sendo Superliga, Liga Mundial ou Grand Prix eu sempre tinha um livro na bolsa. Mesmo com esse histórico acho bem difícil que eu leia alguma coisa nos jogos que assistirei na Olimpíada, na Copa o livro até estava na bolsa, mas era Copa do Mundo e e estar no estádio em um evento desses tem outro clima para uma amante dos esportes como eu, não conseguiria me concentrar, ainda mais na final. Acredito que o mesmo acontecerá na Olimpíada, estarei nos estádios e arenas vivenciando esse momento único que é uma competição como essa. O livro permanecerá na bolsa aguardando os jogos terminarem.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: