O Caso Laura: o quebra-cabeças de André Vianco

Marcel, um detetive particular apaixonado por quebra-cabeças, é contratado por um misterioso cliente para seguir Laura, descrita pelo contratante como “a” mulher. Laura, restauradora de arte sacra, está, mais uma vez, à beira de cometer suicídio, pois seu pai está morrendo. Ela só encontra conforto na companhia de Miguel, quem Marcel foi contratado para investigar. Todos esses, mais Alan, um policial que faz justiça com as próprias mãos, habitam o 13º livro de André Vianco e são, de maneiras diferentes, partes do quebra-cabeças que é “O Caso Laura”.

o-caso-laura

Para quem já se pergunta, a resposta é não: nenhum personagem de “O Caso Laura” é um vampiro. Famoso por escrever sobre as criaturas da noite, André Vianco apostou em outra temática, mais voltada para o noir e com um toque sutil, mas significativo do sobrenatural.

“O Caso Laura” aborda temas como fé, amizade e suicídio, todos intimamente ligados e nem sempre discutidos como deveriam. No livro, Vianco desenvolve os personagens com muita propriedade, intercalando suas histórias de forma a conhecermos aos poucos suas personalidades. Todos vivenciam histórias paralelas que, aos poucos, se cruzam e fazem com que possamos encaixar as peças do quebra-cabeças – objeto de afeto do personagem principal (Marcel ou Laura? Vocês é que vão me dizer. *colocar riso maléfico aqui*).

Ao meu ver, Vianco só peca em dois momentos durante toda a narrativa. Calma! Vou explicar quais são sem contar spoilers! O primeiro é o diálogo altamente meloso entre Laura e seu par romântico. Íntimo demais, rápido demais. E breeeeega! O melhor é que, quando falei com o autor sobre isso, ele respondeu com humor: “Esses diálogos amorosos ai, não tem jeito mesmo, eu sou um bregão inveterado”. Tudo bem, Vianco. Nós te adoramos assim mesmo.

O segundo – e talvez mais significativo – “pecado” de “O Caso Laura” é a famosa “vamos-explicar-todo-o-mistério”. Marcel desvenda todo o mistério do caso, mistério esse que o é explicado por um personagem quando, na minha opinião, poderia ter sido deduzido por nós e descoberto por ele. Nunca explicado. E aqui, tudo é literalmente explicado. Se a cena não fosse tão explícita, talvez a seqüência final tivesse o triplo da força que já tem, pois somente ali nós descobriríamos tudo sobre o quebra-cabeças maior do livro. Enfim, opiniões de leitora mala que sou.

Mesmo assim, nenhum dos dois fatores acima descritos prejudicam a narrativa de “O Caso Laura”, que prende o leitor até a última página. Faz rir, traz agonia às vezes e, dependendo do que cada um já viveu, faz chorar. Para quem curte thrillers ou quer começar a ler livros do gênero, “O Caso Laura” cai como a última peça do quebra-cabeças. Vale a leitura.

Compre aqui:

Submarino01 Saraiva Travessa Americanas Livraria Cultura

Um comentário sobre “O Caso Laura: o quebra-cabeças de André Vianco

  1. Frini,

    Sou mega fã de Vianco e senti nesse livro algumas sensações que vc tb sentiu…achei o amor rápido e meio surreal…gostei do mistério pq não esperava nada do que aconteceu ( e o tal quarto…esse nem desconfiava..imaginei várias coisas e nenhuma era a correta); Já li boa parte dos livros dele e amo o jeito que escreve mas esse livro, confesso, foi uma grata surpresa de uma lado dele que ainda não conhecia. No final gostei muito do livro mas como fã me sinto suspeita para falar se ele acertou com o final ou poderia ter terminado de outra forma..;)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *