Os presentes de sempre

Header Sebo

Que livros você sempre dá de presente? Eu tenho uma lista de livros para dar de presente.

Sou daquelas que sempre que possível dá livros de presente. Penso no presenteado e monto uma listinha de que livros podem agradar. Tem alguns títulos que estão sempre nas listas, são os aqueles presentes certos, bons livros, boas historias que me encantaram e que acho que todo mundo deveria ler.

Minha lista é bastante eclética tem romance, tem aventura, tem literatura portuguesa, africana, brasileira, tem romances históricos, enfim, tem de tudo um pouco.

A lista começa com duas mulheres da península ibérica, Rosa Montero e seu ótimo a “Louca da Casa”, que brinca com contar historias. Li outros livros dela, mas nada se compara com esse primeiro contato com sua obra. Dividindo o primeiro lugar da lista está a portuguesa Inês Pedrosa e seu “Em tuas Mãos”, a saga de três gerações de mulheres portuguesas me fez me apaixonar pelos autores da terrinha. Tenho vários livros dela, adorei todos, suas mulheres são incríveis, mesmo quando seus protagonistas são homens, são as mulheres o importante. Sempre pego “Em Tuas Mãos” na livraria para presentear amigas que desconhecem a literatura portuguesa. Nunca consegui entender porque não existe um intercambio maior de autores portugueses no Brasil e de brasileiros em Portugal, mas isso é papo para outra coluna.

Essas mulheres são seguidas por dois homens, um espanhol e um inglês. Carlos Ruiz Zafon e seu “A Sombra do Vento” é livro para quem gosta de livro, faz parte de uma trilogia, mas funciona como um livro único, na verdade acho que funciona melhor como um livro único. O inglês em questão é Ken Follett e seu clássico Os Pilares da Terra, só o fato de ser a Inglaterra na idade média já me seduzia . Devorei os dois volumes em dois dias, não conseguia fechar o livro. A nova edição em volume único evita um problema que eu tive, acabei o primeiro volume no meio da noite e não tinha o segundo para começar a ler.

O seguinte da lista é o angolano José Carlos Agualusa e seu maravilhoso O Vendedor de Passado. É um livro pequeno e espetacular e mostra como a narrativa angolana se assemelha com a brasileira. Agualusa tem alguns outros bons livros e é responsável pela minha descoberta dos autores africanos lusófonos, uma descoberta que enriqueceu muito minha biblioteca.

Fechando a minha lista tem um brasileiro, Milton Hatoum e Dois Irmãos. Esse não é um livro que  dou com frequência, escolho mais os presenteados. A historia de dois irmãos crescendo em Manaus pode não parecer interessante, mas garanto que é uma grande jornada literária.

Minha lista cresce volta e meia, no momento Maurice Druon e sua serie dos Reis Malditos foram acrescentados.

Compre Aqui:

Dois irmãos
O Vendedor de Passados
A sombra do vento

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: