Our Souls at Night (Nós, ao Anoitecer)

Quando li que Jane Fonda e Robert Redford tinham se juntado para estrelar um filme fiquei de olho, quando vi que o filme era uma adaptação de “Nossas Noites” coloquei estrelinha do lado e esperei estrear no Netflix. “Nós, ao anoitecer” (Our Souls at Night), dirigido por Ritesh Batra,  é um boa adaptação do livro de Kent Haruf, na verdade até dá uma melhorada em alguns caminhos que me incomodam muito no livro.

Addie é viúva e uma noite propõe a seu vizinho, Louis, que passem a noite juntos. É dessa premissa que se desenrola uma história de amor na terceira idade. Fonda faz uma Addie mais animada do que a que é descrita no livro, é um bom contraste com Redford e seu Louis calado e solitário. Foi impossível não lembrar (e não assistir depois) “Descalços no Parque” onde os dois fazem um jovem casal em Nova York. A química que existe nesse filme de 1967 não desapareceu e em “Nós, ao Anoitecer”  podemos aprecia-la mais um pouquinho. Vivendo Jamie, neto de Addie, está Iain Armitage. O menino parece ser onipresente nesses tempos, viveu Ziggy na ótima “Little Big Lies” e é o jovem Sheldon Cooper na nova série “Young Sheldon”. O menino é bom ator e funciona bem contracenando com uma dupla de peso do cinema como Fonda e Redford.

O livro tem um problema serio no final onde o filho de Addie, Gene (Matthias Schoenaerts), tem um papel primordial. Aqui o roteiro de Scott Neustadter e Michael H. Weber resolvem a questão, eles mudaram um pouco o caminho do livro e mantiveram a essência, montam um cenário bem melhor e que transforma em Gene em alguém infinitamente menos babaca do que no livro. Não gosto do final dado por Kent Haruf, pra mim ele não faz muito sentido, e com a solução dada aqui ela passou a ser melhor, bem melhor.

“Nós, ao Anoitecer” é um bom filme, leve e, principalmente, fala sobre o amor na terceira idade algo quase inexistente no mundo do cinema americano que se preocupa exclusivamente com a juventude eterna. É sempre boa ver protagonistas com outras idades e amores mais maduros, ainda mais se isso for vivido por Jane Fonda e Robert Redford.

Veja no Netflix

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: