Quando Lisboa Tremeu

“Quando Lisboa Tremeu” é um dos muitos livros que veio na minha leva de Portugal. De uns anos pra cá tenho me apaixonado mais e mais por literatura em língua portuguesa não produzida no Brasil. Isso é culpa um pouco da Inês Pedrosa, um pouco do Agualusa, um pouco do Saramago, escritores que me fizeram descobrir outros escritores e me fizeram me apaixonar um pouco mais pela nossa língua. Domingos Amaral foi um desses escritores que descobri por acaso, fui em busca de um romance português e “Enquanto o Ditador Dormia” acabou caindo nas minhas mãos, bom romance histórico sobre Lisboa durante a segunda guerra. Quando fui elaborar minha lista de aquisições em Portugal selecionei alguns títulos de Amaral.

Esse romance acabou de ser lançado no Brasil pela Casa da Palavra mas eu li a edição portuguesa, que tem essa capa que ilustra o post. Como já denuncia o título, o livro fala sobre o grande terremoto de Lisboa em 1755 e esse é o personagem principal, as cinco pessoas que seguimos ao longo do romance servem apenas para Amaral descrever a destruição e mostrar como em um Dia de Todos os Santos Lisboa acabou. A trama dos personagens não são muito envolventes e Santamaria, o principal narrador, tem um enredo que no final fica um pouco sem pé nem cabeça.

O livro é dividido entre os elementos. Começamos com terra e os tremores que devastaram a capital portuguesa. Depois vem a água e o maremoto (adoro que não é usado tsunami e sim o equivalente português da palavra) que continuou com a destruição, segue o fogo e o incêndio que acabou com o que ainda havia de pé. Para fechar como ar e o ambiente infestado com o cheiro de milhares de corpos em decomposição. Como se pode perceber não sobrou pedra sobre pedra em Lisboa e a sobrevivência nos dias que se seguiram não foi das mais fáceis, os personagens que nos contam essa luta são interessantes e variados, mas nada se compara a descrição do que ocorria a sua volta.

As brigas, os romances, as traições e as mortes tem pouco impacto porto da grandeza do que acontece com a cidade de Lisboa. Esse é o mérito e o problema de “Quando Lisboa Tremeu”, o personagens não captam a atenção do leitor e a descrição do desastre é tão boa que ofusca a história. É um bom romance histórico e só.

Compre aqui:

Submarino01 Saraiva Travessa Americanas Livraria Cultura

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 pensamentos em “Quando Lisboa Tremeu”

%d blogueiros gostam disto: