Saudades dos meus livros

Que leitor nunca olhou para o mercado editorial e pensou: “que delícia! Quero trabalhar com livros!”? Mas não é tão simples como aparenta ser. Trabalho nesse mercado paralelamente e já estou sofrendo – vamos usar essa palavra pela falta de uma mais adequada – um efeito colateral específico. E é sobre essa situação que vim desabafar aqui hoje.

Tempo é o bem mais precioso que temos, além da saúde. Tenho pouco tempo para poder me dedicar a outros afazeres que não o trabalho e a minha ocupação literária há muito tempo não é mais hobby. Por exemplo: antes eu lia o que eu queria abordava esses livros no Clube do Livro Saraiva. Mas aí passei a usar temas e ler livros e estudar o tema para abordar no Clube. E isso se intensificou quando comecei a mediar eventos maiores e também em Bienais. Minha escolha de leitura passou a ser pautada pelo evento que tinha que preparar ou autor que teria que mediar. E isso não é ruim! Não estou reclamando, de forma alguma! Mas o meu tempo se tornou ainda mais precioso. Não dá para ler o que eu quero e quando eu quero e isso, embora seja um pouco triste, é a minha realidade.

Sou apaixonada por livros, publiquei um, estou para lançar o segundo e continuarei a escrever porque eu PRECISO fazer isso. Ler é a mesma coisa. Eu PRECISO ler para me sentir completa e essa falta de tempo me frustra um pouco. Faz muito tempo que não olho para a minha estante e penso “Hum …. acho que vou ler esse aqui agora”, porque todas as escolhas são estratégicas. E isso é bom, mas é ruim. Bizarro, né?

Minha leitura se tornou mais seletiva e tenho que escolher muito bem o que eu quero ler entre um evento e outro porque ele – o tempo! – é pouco.  Sei que não tenho mais tempo para ler tudo que quero na passada que gostaria, mas também me policio MUITO para não entrar no desespero de “ACABEI! RESENHA NO AR! PRÓXIMO!”. Isso não é ler, é cumprir meta, né? Não sou dessas. Nada contra, só não é a minha vibe.

Aqui no blog temos um lema: “O que a gente gosta, quando a gente pode”, porque para resenhar um livro só levando isso em consideração mesmo: se temos algo relevante a falar sobre determinada obra e se nos envolveu o suficiente para investir o nosso tempo na leitura. Ainda bem que o gosto de toda a equipe é bem eclético porque isso faz o blog ter um pouco de cada gênero e com leitores que curtem esse tipo de livro.

E o mesmo se aplica a filmes e séries! Há alguns anos, eu seguia religiosamente cerca de 11 séries, chegando a 14 em um período. Não perdia um capítulo! De uns tempos para cá, só uma ou outra quando me programo para maratonar no Netflix. Nem “The Vampire Diaries” e  “Originals” que eu tanto gosto eu consegui finalizar! Culpa da falta de tempo, mas ela vem porque estou trabalhando loucamente e muito feliz com tudo isso.

“Puxa, Frini, então qual é da coluna? Tá reclamando do quê?”.

Não tô. Estou só dividindo com vocês que – como diz aquele verso: “Saudade da aurora da minha vida, da minha infância querida que os tempos não trazem mais”.

Sinto falta de ser uma leitora descompromissada. Mas também amo meus compromissos literários. Ou seja: trabalhar com livros nem sempre é escolher o que você vai ler, mas sim se dedicar ao máximo a cada leitura e segurar as pontas quando não dá para ler o que a gente realmente tem vontade.

Até amanhã! (tem Clube do Livro Saraiva sobre representatividade! Chega mais!)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *