Shirley Jackson, a rainha do gótico moderno

Um dos últimos grandes sucessos da Netflix é a série “A Maldição da Residência Hill” que é inspirada no livro “A Assombração da Casa da Colina”, romance mais famoso de Shirley Jackson e considerado uma das melhores histórias de fantasma já publicada. Apesar da série não ser fiel ao livro de Jackson, ela transmite a essência do que a autora pretendeu passar, mostrar a interação dos personagens com a casa e como ela os influencia.

Grande influência para escritores como Stephen King e Neil Gaiman, Jackson é a rainha do terror gótico moderno, misturando elementos sobrenaturais com questões psicológicas, uma receita que vários autores usam até hoje, mas Jackson com certeza é a que melhor faz essa mistura. “A Assombração…” começa como um livro que parece datado mas conforme a história se intensifica, o leitor acaba completamente envolvido com a trama.

Nascida no início do Século 20, Jackson alcançou a fama no final da década de 1940 quando publicou o conto “The Lottery” na revista The New Yorker.  Apesar de na época ter sido muito mal recebido pelos leitores da revista, por seu tom macabro, essa foi a história que abriu as portas para Jackson, que não gostou muito de ser considerada uma escritora de terror mas que, no fim acabou aceitando o título.

Shirley teve uma infância difícil, preferia ler e escrever do que estar com outras crianças, principalmente porque passou boa parte da sua vida brigando com o peso, o que incomodava sua mãe e tornava sua vida um tormento. A escritora só conseguiu se sentir livre para escrever o que queria quando foi para a Universidade de Syracuse, onde também começou a fazer amizades e conheceu seu marido, Stanley Edgar Hyman. Após a faculdade o casal foi morar em Vermont onde Hyman passou a trabalhar como crítico literário e Jackson publicou o conto “The Lottery”.

A vida de Shirley era um clichê da época, um casal aparentemente feliz, com quatro filhos, uma vida social animada, cercada de amigos literários, mas se marido ressentia do sucesso dela, principalmente porque seus livros passaram a ser a principal fonte de renda da família, e começou a traí-la com outras mulheres. Apesar do sucesso, dos prêmios e todos os elogios, era o meio dos anos 1950 e uma mulher que não conseguia manter a família unida não poderia realmente ser vista como bem-sucedida.

As mulheres que Shirley Jackson criava em seus livros eram fortes, bem construídas e se destacavam por isso. Mas a autora tinha muitos problemas de autoestima por ser gorda, por não conseguir se esquivar de um casamento infeliz e todas as outras pressões da época. Talvez a “A Assombração da Casa da Colina” seja a melhor metáfora sobre a vida de Jackson, já que a casa era um labirinto mal-assombrado que se alimentava dos medos e fraquezas das pessoas que viveram ali.

Ela morreu cedo por problemas de saúde, com 48 anos em 1965, mas deixou um legado muito importante que ecoa até hoje em obras de terror e mistério pelo mundo. Ao ler uma obra de Jackson nota-se tanto o quanto a literatura gótica do Século 18 influenciou a sua escrita, assim como o quanto seus livros influenciaram e influenciam vários escritores até hoje.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: