Tolkien – filme

A biografia de J.R.R. Tolkien em cartaz nos cinemas é uma oportunidade perdida para mostrar um pouco da vida do criador de O Senhor dos Anéis. O roteiro de David Gleeson e Stephen Beresford explora três linhas: o grupo de amigos inseparáveis, o romance com Edith Bratt, e a experiência na Primeira Guerra Mundial. Mas nenhuma dessas narrativas tem uma conclusão satisfatória. As cenas na guerra, com soldados que se transformam em monstros e dragões, são as mais inspiradas, mas mesmo assim quando ele finalmente começa a escrever O Hobbit, parece que a ideia veio do nada. Nicholas Hoult e Lily Collins estão ótimos, e carregam bem os personagens. Cenários e figurinos são belíssimos – até demais, levando em conta as dificuldades financeiras da família Tolkien. No fim, as boas intenções produzem um filme apenas simpático, mas superficial. Ficou devendo.

Pra quem quiser se aprofundar na biografia de Tolkien há muitas boas opções disponíveis nos livros. Em português temos J.R.R. Tolkien: Um Biografia, de Humphrey Carpenter (Harper Collins, trad. Ronald Kyrmse) e J.R.R. Tolkien: o Senhor da Fantasia, de Michael White (Darkside, trad. Bruno Dorigatti). O livro de White é correto e tem uma edição caprichada daquelas que a Darkside faz tão bem.

A grande diferença entre os dois está nas fontes: Carpenter chegou a conhecer Tolkien (na introdução ele conta uma visita ao escritor), e teve acesso direto a documentos e cartas dele, fontes primárias portanto. White fez uma boa pesquisa, mas as fontes dele são secundárias – a bibliografia inclui justamente o livro de Carpenter. Por isso, como jornalista, meu voto vai para o de Carpenter.

Pra quem lê em inglês, recomendo mais dois. Tolkien and the Great War, de John Garth, tem ligação direta com o filme. Garth conta em detalhes a participação de Tolkien e seus amigos – sua Irmandade da vida real – na Primeira Guerra Mundial, e como a experiência marcou e moldou a obra que viria a escrever. Garth retrata muito bem os ideais de um grupo de jovens que desejava criar um mundo melhor, enquanto á volta deles o mundo caminha para o caos. E descreve em detalhes as origens do universo criado por Tolkien.

Mas talvez o que melhor ilustra o processo que levou à criação da Terra Média e de O Senhor dos Anéis seja Tolkien: Maker of Middle-Earth, de Catherine McIlwaine. É uma publicação da Universidade de Oxford feita para acompanhar uma exposição que passou por Oxford e Nova York e que reuniru documentos e desenhos de Tolkien. Seis ensaios por especialistas como Tom Shippey e John Garth examinam a vida e a criação de Tolkien. O livro é ricamente ilustrado: além de fotos pessoais, reproduz ilustrações do próprio Tolkien que acompanham as suas histórias. Com muita justiça está indicado ao Prêmio Hugo de melhor Livro de Arte do ano, e é um belo presente para fãs de Tolkien.

Compre Aqui:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo
%d blogueiros gostam disto: