Uma montanha-russa de emoções

Como é possível amar tanto a arte alheia? Eu tento explicar. Vem comigo!

Montanha-russa.

O que eu estou sentindo no momento se assemelha àquela antecipação de entrar em um carrinho de montanha-russa.

O peito aperta e o coração bate acelerado. Mas não é um mal-estar, longe disso! É uma sensação de constante expectativa. Até parece que tenho um vazio no peito, como se o coração batesse sozinho, sem a companhia de outros órgãos, sabe? É muito estranho! Mas é um estranho bom. Acho que parece aquele “frio na barriga” que sentimos quando nos apaixonamos.

E esse sentimento às vezes transborda em um sorriso no rosto. É possível sentir esse sorriso por todo o meu corpo e ele está dizendo “eu tenho um segredo delicioso, mas não sei se quero te contar”.

Não é um sorriso sacana! É uma expressão de puro deleite fandômico. Sim, eu descobri uma nova obsessão e não quero que ela acabe!

Recentemente, assisti (por pura pressão do meu marido e da minha parabatai) ao seriado “Riverdale”, uma adaptação dos quadrinhos americanos “Archie” que eu lia quando criança. Mas deram um banho de loja nos personagens, na temática e ele está sensacional! No primeiro episódio eu já viciei. Aí vi os 10 disponíveis, mas estou acompanhando os três próximos e FIM! ACABOU A TEMPORADA! WHAAAAT??? Mas foi renovada para a segunda. OREMOS DE PÉ!

Aqui no Brasil, “Riverdale” passa na Warner, mas nos EUA ele é da CW e está no Netflix americano.

Saca só alguns temas abordados na série:

  • Bullying;
  • Slut shaming;
  • Feminismo;
  • Racismo;
  • Pressão dos pais;
  • Corrupção em corporações e de caráter individual;
  • Preconceito;
  • Ansiedade;
  • Gravidez na adolescência;
  • Uma mean girl tentando se redimir;
  • As razões que levam uma menina se tornar uma mean girl;
  • E muito mais!

Além disso tudo, tem também o lado fanzonca que completou o pacote e me fez gamar na série:

  • K. J. Apa, que interpreta Archie Andrews, é uma delícia ruiva que parece Edward Cullen Weasley!
  • Cole Sprouse, que interpreta Jughead Jones, é aquele carinha complexo, misterioso, inteligente e feito de amor para dar. E eu QUERO!
  • Lili Reinhart, que interpreta a querida Betty Cooper, é excelente e toda vez que ela chora eu quero abraçá-la;
  • Camila Mendes, que interpreta a badass Veronica Lodge, é brasileira (nascida nos EUA de pais brasileiros e fala Português fluentemente), excelente atriz e tem as melhores falas!
  • Os quatro têm uma química linda! #SquadGoalsBeLike

O engraçado é que me senti exatamente assim quando comecei a ler “Harry Potter” e “Crepúsculo” e quando passei a ver “Buffy”, “Demolidor”, “Sherlock” e tantas outras séries (não nessa específica ordem).  Acho que é o meu modus operandi de fã. É gente … sou fã! E agora? #piadinhafofa

Então me conta aí: já viu “Riverdale”? E qual série – cinematográfica, literária ou televisiva – te faz ingressar nessa montanha-russa de emoções?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *