100 anos de Nelson Rodrigues

Por Carolina Araujo Pinho

Agosto vai ser um mês movimentado na literatura brasileira, dois grandes escritores fariam 100 anos, Jorge Amado e Nelson Rodrigues. Sobre o escritor baiano já falei aqui, já sobre Rodrigues tenho ainda muito a dizer.

Como tricolor fui apresentada muito cedo as expressões e as frases de Nelson sobre o meu time do coração. Se o jogo do final de semana é um Fla x Flu você pode apostar que em algum texto estará escrito que “o Fla x Flu começou cinco minutos antes do nada”, se algo inacreditável aconteceu em um jogo será dito que “o sobrenatural de almeida” entrou em campo. Foram as crônicas de Nelson que me levaram a sua obra, meu texto favorito sobre futebol é o sobre a vitória da seleção brasileira na copa de 1970, é um poema sobre a magia do jogo, fala mais sobre a paixão pelo esporte do que sobre os jogos e ai está a magia e a imortalidade dos textos futebolísticos de Nelson.

Minha admiração por Nelson pode ter começado com o futebol, mas foi quando li “O Anjo Pornográfico”, biografia escrita por Fernando Morais, que me tornei fã de carteirinha mesmo. O livro é obrigatório para quem quer conhecer a historia da imprensa no Brasil e conhecer a importância da família Rodrigues. O livro abriu um novo universo rodriguiano para mim. Já tinha lido, com relutância, a peça “Vestido de Noiva”, mas só entendi a revolução que ela representou com o livro de Fernando Morais. As peças são a parte da obra de Nelson que menos conheço, mas sei de sua importância. Por ocasião do centenário a Funarte vai reencenar todas as 17 peças escritas por Nelson, pretendo assistir todas.

Ler peças de teatro me irrita um pouco e só li “Vestido de Noiva” porque fazia parte de um trabalho de colégio, mas o personagem Nelson me encantou e fui buscar mais sobre sua obra. Foi assim que cheguei a “Engraçadinha”. Ótimo romance em duas partes, a primeira mostra Engraçadinha jovem e manipuladora, na segunda uma mãe de família que nada lembra a jovem que escandalizava. É um daqueles livros de que guardo boas lembranças da leitura e que devorei sem perceber. A adaptação para a televisão com Alessandra Negrini e Claudia Raia é boa, mas não chega aos pés das palavras na página colocadas por Nelson.

Uma das facetas menos conhecidas é a de Suzana Flag, pseudônimo que ele usava para escrever folhetins, os livros são uma diversão. As historias são cheias de suspense e romances baratos, todos os capítulos acabam em um gancho. É um novelão divertido e sempre parece que Nelson está se divertindo ao escrever aquelas tramas cheias de reviravoltas. “Escravas do Amor” é um que recomendo sempre para alguém que quer começar a descobrir Nelson.

Nelson Rodrigues deixou sua marca na crônica esportiva brasileira, suas frases são repetidas até hoje, deixou sua marca no teatro, “Vestido de Noiva” é considerado um marco. Esse pernambucano tricolor merece ser lido e nesse ano de centenário não faltarão oportunidades de se mergulhar no universo rodriguiano.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *