Fragmentos de uma autora

umdiaoamorvaiencontrarvoceAntes de começar, é preciso dizer que eu não curto poesia. Ou melhor, eu não tenho o conhecimento necessário para apreciar poesia. Não sei dizer se a métrica é bem aplicada ou não ou se o estilo é X ou Y. Tudo que sei sobre poesia é identificar quando poucas linhas me tocam profundamente. E foi isso que aconteceu quando li “Um dia o amor vai encontrar você” (ID Cultural), de Luiza Mussnich.

O livro é estreito, de capa dura, muito bem acabado e com fotos belíssimas. Mas o título me incomodou. Era como se fosse um “fica tranquila que um dia você desencalha”. Mas ao folhear o livro, dei uma chance. Nos primeiros textos, Luiza mostrou domínio da escrita, mas eram todos tão melancólicos e tristes que fechei o livro um pouco antes do final da primeira parte. Deixei ele na pilha de livros a serem lidos. Esperei alguns dias, que viraram semanas. Voltei a ler.

“Um dia o amor vai encontrar você” não é um livro que se devora de uma vez, porque não dá para a gente sentir tudo de uma vez. A cada texto, enxergava um fragmento da autora que se conectava às minhas lembranças. Luiza fala da sua saudade do Natal com a família reunida, ainda na infância. E me identifiquei com isso. O que para ela (ou para a personagem) se quebrou com a separação dos pais, para mim foi o falecimento da minha avó, que era o elo da família. O Natal dela passou a ser uma romaria para casas diferentes. Para mim, durante muito tempo, foi só uma época de lembrar o que não poderia ter mais. Não sei se dá para entender…. é que eu não me expresso tão bem quanto Luiza.

São pouco mais de 100 páginas de pedaços de lembranças, sonhos, expectativas, decepções todas narradas em poucas palavras, mas muitos sentimentos. Não sei se são frutos da criação da autora ou da sua experiência vivida (ou ambos) e isso me intrigou bastante também. Em alguns momentos, fui tomada por uma vontade de buscá-la on-line e puxar conversa, no estilo “não fica assim. Tudo vai melhorar”. Eu sei … muito louco, né? Mas fazer o quê? Empatia é isso aí.

Não sei dizer se a forma da escrita poética de Luiza Mussnich é “correta” ou “adequada”. O que posso dividir com vocês é que não dá para ler “Um dia o amor vai encontrar você” sem se transformar. E quando um autor faz isso com um leitor, eu considero um sucesso de ambas as partes.

Ah, e o título é mencionado mais para o final do livro e tem um significado bem diferente. Pelo menos pra mim.

Compre aqui:

Travessa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: