HQ

HQ: Castelo de Areia

Versão brasileira
da capa original

Em tempos de isolamento social, uma graphic novel como Castelo de Areia (Sandcastle em inglês) é daquelas obras de ficção que te faz refletir sobre a condição humana.

Eu sou carioca e raramente, para não dizer nunca, vou a praia. Mas nesses tempos de semi-lockdown, confesso que uma das coisas que mais sinto falta é de colocar o pé na areia, logo ali no limite da água. Apreciando a brisa e som do mar quebrando.

A interação social é algo intrínseco ao ser humano, mesmo que um carioca introvertido como eu prefira ficar no aconchego e íntimo de sua casa. Mas a ameaça sempre presente do vírus, nos deixa ainda mais cautelosos sobre a vida cotidiana. Põe máscara. Tira máscara. Passa álcool em gel. Lava a mão. De novo.

E é nesse ponto que Castelo de Areia seja tão necessário. Sentimos falta do abraço, do sorriso, da conversa de bar. Mas o que aconteceria se um grupo de desconhecidos fossem colocados todos em uma praia remota de onde não podem sair? Parece a sinopse de um reality ao estilo Big Brother Beach.

O premissa básica de Castelo de Areia gira em torno de uma praia que tem propriedades sobrenaturais onde as pessoas envelhecem as suas vidas inteiras ao longo de um único dia tendo a sua disposição um leque de personagens em estágios diferente de suas vidas.

Versão dos EUA
em e-book

A obra usa de artifícios da literatura fantástica e situações que lembram O Anjo Exterminador de Buñuel. A Amazon não a classifica como ficção especulativa, mas a obra é exatamente isso. Não esperem uma história nos moldes americanos – é uma narrativa europeia, transgressora, que incomodará os mais castos leitores. Não é uma leitura fácil pois não procura explicar eventos e situações – a proposta da obra é fazer refletir sobre nossa natureza humana, nosso fim comum. Alguns aceitam o fato cruel de sua finitude, outros tentam escapar de seu desfecho nefasto – bem ao modo de um episódio de Além da Imaginação.

Castelo de Areia é o resultado do trabalho conjunto de dois artistas: Pierre-Oscar Lévy e Frederik Peeters. O francês, Lévy, responsável pelo roteiro da obra, é um documentarista de mão cheia e traz para o enredo o seu conhecimento da condição humana após anos de trabalhos documentais tanto para o cinema quanto para televisão. Responsável pelo autobiográfico, Pílulas Azuis, o ilustrador suíço Frederik Peeters divide a autoria de Castelo de Areia com Lévy, trazendo o estilo de seu traço distinto que só adiciona ao desenvolvimento dos personagens.

Castelo de Areia é uma meditação sobre a nossa humanidade, sexualidade, nossa complexa convivência e como encaramos nossa finitude. Castelo de Areia, se resume no simples reflexão: o que você fez com o tempo que lhe foi dado? Como você usou os anos preciosos na Terra? Tentou a todo custo fugir do inevitável? Aproveitou ou viu a vida passar?

Lançado em 2010 nos Estados Unidos, a graphic novel completa 10 anos desde sua edição brasileira em março de 2011 pela editora Tordesilhas – com tradução de Diogo Rodrigues de Barros. Castelo de Areia retorna a cena pois será adaptado para o cinema pelas mãos de ninguém menos que M. Night Shyamalan (sim o cara do ‘I see dead people’). Previsto para julho desse ano, o filme entitulado Old, traz no elenco os conhecidos Gael García Bernal, Rufus Sewell, Thomason McKenzie e Alex Wolff, entre outros. Confira o teaser.

Compre Aqui:

Similar Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *