Filme Saiu das páginas

Spotlight

A história de um grupo de repórteres que descobriu os abusos sexuais cometidos por padres e sofridos por crianças em Boston pode não parecer um filme que se vá ver com prazer, mas garanto que vale a ida ao cinema e que você ficará os 129 minutos grudado na trama. Como jornalista, o que primeiro me chamou a atenção foi o Boston Globe ter uma equipe que trabalha independente, só com investigações mais complexas e que podem durar meses ou anos. É o tipo de trabalho que todo o aspirante à jornalista sonha ter quando entra na faculdade com a ideia de mudar o mundo expondo as mazelas da sociedade.

A equipe Spotlight, o nome do grupo nomeia o filme, é formada por quatro jornalistas (Michael Keaton, Mark Rufallo, Rachel McAdams e Brian d’Arcy James) e a investigação começa um pouco a revelia dos quatro e esquenta no momento em que se multiplicam os dados, as vítimas e, principalmente, a quantidade de pessoas dificultando a investigação. É um filme vendido como sobre o caso do escândalo sexual que abalou a igreja, mas na verdade é a história de como jornalistas correram atrás de uma história que ninguém queria contar, contra uma instituição com a qual ninguém queria mexer.

O diretor Tom McCarthy consegue imprimir o grau de tensão necessário para que o espectador, mesmo sabendo o desfecho, corra com Ruffalo e seu Michael Rezendes para conseguir que o tribunal lhe dê os documentos, ou sofra com a Sasha Pfeiffer de McAdams e sua relação com a avó durante a investigação. O clima lembra o de Todos os Homens do Presidente, filme que mostra a investigação do escândalo de Watergate; a lembrança desse clássico de 1976 é ainda maior porque o editor do Boston Globe é Ben Breedle Jr., filho do editor do Washington Post que bancou a investigação de Watergate.

Como jornalista, saí do cinema com aquela sensação de que o filme traz algo do que é a essência desta profissão. Infelizmente nos dias de hoje, com redações assombradas por demissões, assinaturas em queda e a não descoberta de um modelo que permita um trabalho rentável, é cada vez mais complicado esperar trabalhos como o da equipe Spotlight, ainda mais no jornal impresso.

Similar Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *