Perdido em Marte, o filme

Como boa bibliófila tenho sempre um certo medo quando livros são adaptados para o cinema. Esse medo existia com “Perdido em Marte” e foi eliminado logo nos primeiro minutos do filme dirigido por Ridley Scott e estrelado por Matt Damon. A adaptação é ótima e mantém na tela todo o clima tenso e divertido do livro.

O primeiro grande acerto é a escalação de Matt Damon como Matt Watney. Para um filme que tem como centro de sua história um astronauta sozinho em um planeta deserto é necessário alguém com carisma suficiente para entreter o publico e Damon é capaz disso. Assim como Tom Hanks em “O Náufrago” Damon consegue preencher o vazio de Marte e ainda manter todo o bom humor que é a marca registrada do livro.

martian

Uma das maiores reclamações dos leitores é a parte científica do livro, algo que foi bastante diminuída no filme. Watney é inteligente e resolve problemas aparentemente insolúveis em um ambiente hostil, no filme ele explica muito menos o que está fazendo e passa por bem menos problemas também, principalmente na sua jornada final, mas isso não compromete nem um pouco a tensão do filme, pelo contrario, se tudo o que acontece com ele no livro fosse transportado para a tela pareceria um exagero, o que foi transportado do livro para o cinema foi o suficiente para manter o mesmo clima.

O filme não é só Damon, tem um elenco grande que vai de Jessica Chastain a Chiwetel Ejiofor passando por Jeff Daniel e Kristen Wiig. Todos como ótimos coadjuvantes no resgate de Watney. Um pequeno destaque para a cena em que Donald Glover, o astrofísico Rich Purnell, em que ele explica o nome do plano que elaborou. É cena para os fãs de “Senhor dos Anéis” se divertirem bastante.

Para completar o quadro de “cinema é a melhor diversão” de “Perdido em Marte” o uso de músicas disco é sensacional. Estão lá só grandes hits e todos eles usados com maestria para ilustrar os momentos de conquista de Watney. Esse é um filme que vale o ingresso e se fala até em indicação de Damon nos principais prêmios como Oscar, SAG e Globo de Ouro. É um pouco cedo para especular mas Damon sai na frente com um ótimo filme.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: