A princesa salva a si mesmo nesse livro

“A princesa salva a si mesma nesse livro” foi o último livro que li em 2017 e foi a melhor maneira literária para terminar o ano. Embora o título nos induza a pensar dessa forma, ele não é um livro sobre contos de fadas ou sobre empoderamento ou …. é muito mais do que isso. “Princesa” é um compilado de poemas, de fragmentos de uma menina, de uma mulher, de uma autora que tratam de temas muito complexos e podem ser sentidos como tapas na cara, socos no estômago, tanto quanto aquela mão que você precisa para se dar conta de que ninguém precisa te salvar de dragão. Você é capaz de fazer isso sozinha, muito obrigada.

“Princesa” é a história da vida de Amanda Lovelace – a autora – contada em forma de poemas que passam por sua infância, adolescência e seus vinte e poucos anos. Mas, antes de mais nada, é importante entender que “A princesa salva a si mesmo nesse livro” pode ser considerado um “livro-gatilho”. O que é isso? É uma obra literária que aborda temas que podem ser considerados gatilhos para pessoas que estejam emocionalmente fragilizadas.

“Princesa” aborda abuso emocional e sexual, distúrbio alimentar, auto flagelação, alcoolismo, morte, suicídio, câncer, perda, luto. Alguns desses tópicos são mais explícitos do que outros, mas é importante ter isso em mente antes da leitura.

Antes de achar que o livro é deprimente, deixe-me explicar que ele também aborda amor, perdão, coragem, força interna, cura e aquele sentimento que não tem nome, mas é o que nos motiva a, embora nos encontremos no fundo do poço, acharmos uma escada, uma corda, uma mola ali para nos ajudar a sair.

O livro é dividido em quatro partes: A princesa, a donzela, a rainha e você. As primeiras três seções são fragmentos da vida da autora, mas a quarta é o link dela como leitora e dela conosco, seus leitores. E esse caminho, desde a dedicatória até os agradecimentos é importante ser percorrido sem pressa, mas com coragem de nos deixar sentir tudo que ele vai fazer aflorar.

“A princesa salva a si mesmo nesse livro” é o livro perfeito para começar o ano, para terminar o ano, para nos ajudar a nos reinventar pelo simples fato de que podemos e merecemos.

Quando acabei a leitura, estava em um turbilhão de emoções que iam desde a tristeza, passava pela revolta e caia na inspiração. Acho que autores têm esse poder: de ser transparente por meio de palavras e por isso nos fazer sentir.

Fotografei alguns poemas que coloco aqui para vocês terem a noção do quão incrível e necessário é “A princesa salva a si mesmo nesse livro”. Mas tive que me contar porque senão iria fotografar o livro todo!

Ah, e Amanda Lovelace – que escreve desde os 11 anos de idade -, publicou de forma independente seu livro antes de ser abordada por uma editora, ganhar o prêmio de Melhor Poeta em 2016 pelo Goodreads e de chegar até nós. Em 2018, teremos novo livro dela. “Princesa” será o primeiro da série “Women are some kind of magic” (“Mulheres são um tipo de magia”, tradução livre e tosca feita por mim). O segundo livro será “The witch doesn’t burn in this one” (“A bruxa não é queimada nesse livro”, outra tradução livre) e tratará mais poemas que abordarão temas sobre resiliência e sobre como a mulherada deve tomar o controle de sua própria história. “Inimigos tentam julgar, oprimir e marginalizá-la, mas a bruxa não é queimada neste livro” (última tradução livre, prometo!).

Já estou torcendo para a Editora Leya, que nos trouxe a edição brasileira de “Princesa”, faça o mesmo para a “Bruxa”.

Curiosidade: as maiores influências literárias de Amanda Lovelace são – além da comunidade do Tumblr – Tahereh Mafi, Laurie Halse Anderson, J. K. Rowling e Emily Dickinson. Já deu para notar o quanto o trabalho dessa autora é necessário, né?

Compre aqui:

Submarino01 Travessa Americanas Livraria Cultura

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: