O desafio de todo o ano

Header Sebo

Quantos livros você lê por ano?

Sempre fui uma leitora inveterada, dessas que tem sempre um ou mais livros na bolsa. Na virada do século resolvi estabelecer uma meta de leitura: são 50 livros por ano. Na minha pequena competição comigo mesmo tem só uma regra: pelo menos um desses 50 livros tem que ser um grande clássico. Outra rotina que estabeleci com o desafio foi a de anotar o nome de todos os livros que leio, isso ajuda no final do ano quando dou baixa nas estantes e faço pilha de livros para doação.

Não faço ideia de quantos livros lia antes de começar a ter essa meta, eram muitos. Sou dessas que desde adolescente anda com livros (assim mesmo no plural) na bolsa, leio em qualquer lugar, fila de banco, ponto de ônibus, esperando amigo no bar, em casa, no almoço. Quando resolvi que queria estabelecer uma meta fiquei um tempão pensando qual seria o número de livros, achei que um por semana era um bom número, mas tenho um certo TOC com números quebrados e resolvi estabelecer 50 pelo simples motivo dele ser redondo. Essa pequena margem também resolve a questão dos livros com mais de 500 paginas que volta e meia eu pego. Vale ressaltar que eu não faço nada quando bato a meta nem quando não bato, os 50 são só um número que coloco no horizonte e vou caminhando em sua direção.

Outro dia me marcaram para  ler esse post do Papo de Homem sobre ler 54 livros por ano. Tem algumas dicas legais, a de rotina de leitura é a melhor. Até porque mesmo que você ache uma loucura ler essa quantidade de livros em um ano, é mais que 10 vezes a média nacional que é de 4 livros, fazer da leitura parte da sua rotina só tem a acrescentar a sua vida. A minha rotina de leitura é a mais desregrada possível, leio antes de dormir no mínimo um capitulo, se o livro for daqueles com capítulos enormes ou como os do Saramago que nem essa divisão tem, eu estabeleço 20 páginas de leitura pelo menos. Alerto que o perigo de ler antes de dormir é não dormir, já perdi as contas de quantos livros me envolveram de tal maneira que quando olhei o relógio já ia alta madrugada e faltavam só umas paginas para acaba-lo.

Como lendo só 20 páginas por dia eu consigo ler 50 livros por ano? Eu leio do dia todo, no metro indo para o trabalho, no ponto de ônibus, na hora do almoço, no cinema antes das luzes se apagarem, enfim, em qualquer momento que dure mais que um minuto eu tiro o livro da bolsa e leio. Nunca fiz uma conta de quantas paginas leio por dia, a quantidade está diretamente ligada a qualidade do livro, tem livros que não preciso lembrar de ler 20 paginas, são os livros que acabam rápido demais, que quando vejo faltam só 10 paginas para terminar. As 20 paginas servem para os menos envolventes, para aqueles que demandam um esforço a mais para terminar.

Um aspecto desse desafio que sempre me preocupa bastante é não ler só para fazer número, é ler e pensar o livro. Nesse momento é que o Cheiro de Livro mais me ajuda, tudo que leio vira resenha aqui e para virar resenha eu tenho que pensar o livro, tenho que conseguir explicar porque gostei, se gostei, se recomendo, se acho que deve ser atirado pela janela, essas coisas. Enquanto leio faço pequenos apontamentos, tem livros que dá para fechar e pegar um seguinte na mesma hora, mas tem os livros, os melhores, que precisam de tempo para absorver, que precisam de tempo para ler também. Quando me deparo com um desses demoro mais para lê-los e depois de termina-los fico um tempo só pensando no que li, não pego o livro seguinte da pilha, releio meus apontamentos e volto a pensar nele.

Você pode achar que leio muito porque escrevo aqui e preciso alimentar o CdL, não é verdade. Escrevo porque leio, não o inverso. O lema aqui é “o que a gente gosta, quando a gente pode”, totalmente verdadeiro. Leio sempre que posso e só o que gosto. O que muda com a rotina de quem também escrever sobre o que lê é o pós leitura, é o emitir uma opinião, é o ter que elaborar um texto. Essa etapa de escrever sobre o que se lê é incrível, muitas vezes descubro mais sobre o livro quando escrevo sobre ele, o exercício da escrita me faz elaborar e pensar mais detalhadamente  o que li e acrescenta a minha experiência.

Bato a minha meta com mais frequência do que não. Em 14 anos, já tive anos em que li 28 livros e outros em que li 60. Não faz diferença, o importante é ler, me divertir com o que estou lendo e aproveitar cada pagina.

7 pensamentos em “O desafio de todo o ano”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: