Livros

Frank Herbert – além de Duna

“O problema com líderes é que eles são seres humanos. E quando cometem erros, esses erros são multiplicados pelas multidões que seguem-nos sem questionar. Por isso eu digo: pense por si mesmo, faça perguntas.” – Frank Herbert

Frank Herbert (foto: Phil H. Webber)

1920 foi um ano bem especial. Já comemoranos aqui os centenários de nascimento de Isaac Asimov e Ray Bradbury. E esta semana, mais um grande nome da Ficção Científica completaria 100 anos: Frank Herbert, autor de Duna. Vou deixar pra falar da obra-prima dele mais perto da estreia do filme, agora adiada pra Outubro do ano que vem. Mas Herbert tem outros trabalhos interessantes que acabaram meio ofuscados e que vale a pena conhecer. E tem um deles passado, pasmem, em Mato Grosso…

Jornalista freelancer, Herbert começou a publicar Ficção Científica em 1952, mas só foi estourar mesmo com a publicação de Duna (em capítulos na revista Analog a partir de 1963, e em livro em 1965). Antes disso, tinha chamado um pouco de atenção com Under Pressure (The Dragon in the Sea), um thriller que leva a Guerra Fria a um futuro próximo e que acompanha a tripulação de um submarino com a missão de roubar petróleo dos inimigos dos Estados Unidos. 

Depois de Duna, passou a explorar temas como a ecologia, a evolução da espécie e da inteligência, e diferentes formas de organização social. The Green Brain (O Cérebro Verde) tem um futuro em que a superpopulação leva a humanidade a derrubar florestas na busca de mais espaço habitável – e no interior de Mato Grosso dá de cara com insetos evoluídos.

The White Plague tem uma pandemia criada por um cientista louco que só atinge as mulheres – com consequências devastadoras para a sociedade. 

A sequência Pandora (Destination Void / The Jesus Incident / The Lazarus Effect / The Ascension Factor; três co-escritos com Bill Ransom) acompanha o desenvolvimento de uma inteligência artificial a bordo de uma nave levando colonizadores ao planeta Pandora. Só que o computador conclui que ele é Deus – e passa a cobrar devoção dos humanos. 

The Dosadi Experiment mostra uma sociedade que tenta juntar humanos e alienígenas sob um governo autoritário, com resultados nefastos. 

Em The Santaroga Barrier,  escrito no auge do movimento Hippie, um psicólogo investiga uma comunidade ideal na Califórnia que pode esconder um terrível segredo. 

E no que é provavelmente o romance mais importante de Herbert pós-Duna, Hellstrom’s Hive, o governo de um futuro distópico investiga a experiência de um cientista que desenvolve nos subterrâneos uma sociedade tipo colmeia, inspirada mais uma vez em insetos, com trabalhadores altamente especializados.

Em todos eles, Frank Herbert explorava a fundo as consequências dessas experiências de desenvolvimento genético e social em tramas complexas, às vezes difíceis de acompanhar, mas que sempre desafiam o leitor.

Similar Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *