Coluna

Me guardando pra quando o Carnaval chegar

Pela primeira vez desde 1932 quando Mario Filho e seu Mundo Esportivo criaram uma competição entre Escolas de Samba elas não irão desfilar no Rio de Janeiro. Uma tradição de 88 anos que tornou-se parte da identidade do país não vai existir. Esse mundo com pandemia criou “2021, o ano sem Carnaval”, citando o historiador Luiz Antonio Simas no podcast Café da Manhã, se o ano no Brasil só começa depois do Carnaval isso significa que estamos presos em 2020 até que o próximo Carnaval se apresente.

O Cheiro de Livro tem uma quantidade enorme de livros sobre Carnaval e Samba resenhados, um monte de colunas sobre a festa, é um dos temas constantes por aqui e a culpa é toda minha. Não sou uma foliã que você vá encontrar em um bloco ou me fantasiando por aí. Isso não significa que não adore samba e um desfile de carnaval. Como qualquer carioca reclamo o quão difícil é andar pela cidade antes, durante e depois do Carnaval por causa dos blocos, mas também amo encontrar um folião vestido de bailarina na fila do mercado, uma Mulher Maravilha fazendo feira, um grupo de Pokemons no ônibus. Existe uma certa relação de amor e ódio entre cariocas e carnaval.

Beija-Flor – Carnaval 2011, Rio de Janeiro

Voltando a folia em si, com a chegada do feriado e a falta dos rituais carnavalescos, a falta de saber os sambas, de esperar a minha Beija-Flor entrar na avenida foi batendo uma melancolia. Um sentimento que se tornou comum nesses tempos pandêmicos, tempos em que perdemos uma série de marcos importantes sejam eles individuais ou coletivos, perdemos a liberdade de escolha de uma série de coisas, incluindo a liberdade de se esbaldar ou não em um bloco. É como se o popular dizer brasileiro de que o ano só começa depois do carnaval tivesse se materializado e que a nossa ficha coletiva só tivesse caído agora de que estamos presos, até o próximo Carnaval, em um 2020 interminável. Lamento informar que o Carnaval de 2022 é só no final e fevereiro, sexta-feira dia 26/02.

Para não deixar a data passar em branco além de ouvir minha playlist de sambas enredo, é uma seleção bem pessoal repleta de sambas da minha escola do coração, estou relendo uma série de livros sobre samba e Carnaval. São ótimas leituras mesmo que você não seja um amante da folia, mostram a construção de um dos nossos símbolos nacionais, um ícone da nossa cultura essencial para nos entendermos como nação. Uma pequena lista:

Maravilhosa e Soberana

Uma História do Samba, origens

Escolas de Samba do Rio de Janeiro

Porta Bandeiras

Tantas Páginas Belas

Uns sambas enredos para esses dias

Ou só uns bons sambas mesmo:

Similar Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *