A decepção literária

Esse é um sentimento que experimentamos muito cedo na vida, logo na pré-adolescência, quando decidem que estamos prontos para ler livros que na verdade não estávamos. Pelo menos foi assim na minha época. Sempre tive uma relação muito boa com os livros, desde que aprendi a ler e ganhava livros da minha família. Amava a forma como as palavras se tornavam imagens e pessoas na … Continuar lendo A decepção literária

Belas Maldições

Só o fato de ser escrito por Neil Gaiman e Terry Pratchett já deveria ser razão suficiente para qualquer pessoa ler Belas Maldições (Bertrand Brasil, 349 páginas, traduzido por Fábio Fernandes). Se essa não é uma razão forte o bastante, você deveria rever seus conceitos, mas mesmo assim vou tentar te convencer. Bom, Neil Gaiman é autor de vários livros incríveis, entre eles a série … Continuar lendo Belas Maldições

Blogosfera: um evento literário do Cheiro de Livro

O Cheiro de Livro sai da internet e vai para a vida real conversar com os leitores sobre assuntos literários. Em parceria com a Livraria Blooks, vem aí o primeiro evento do Cheiro de Livro, no Rio de Janeiro e o tema será: Blogosfera. Carina Derschum da Editora Valentina e Alexandre Nunes da Editora Rocco, são nossos convidados dessa primeira edição. Vamos conversar sobre o … Continuar lendo Blogosfera: um evento literário do Cheiro de Livro

Terceira Voz

Quando peguei o livro Terceira Voz, de Cilla e Rolf Börjlind, para ler, estava com a expectativa bem alta por causa de outros romances suecos que li, como a trilogia “Millenium”, de Stieg Larsson, e o maravilhoso “Deixe Ela Entrar”, de John Ajvide Lindqvist, ambos inovadores na forma de narrar a história e com uma construção muito boa de personagens. Infelizmente essa não é a … Continuar lendo Terceira Voz

Rei Arthur: A Lenda da Espada

Antes de sentar na sala de cinema para ver Rei Arthur: A Lenda da Espada (King Arthur: Legend of the Sword, EUA/Reino Unido, 2017) li uma matéria que já me avisava, entre várias coisas, que as personagens femininas do filme não tinham quase nenhuma força e as que se destacavam um pouco mais, nem nome ganharam. Vindo do diretor Guy Ritchie que já tinha destruído … Continuar lendo Rei Arthur: A Lenda da Espada