Bartleby, o Escrivão

(“Preferia não fazê-lo”) Herman Melville é daqueles autores que você se sente pressionado a ter na estante. Quem nunca foi à livraria e ficou namorando Moby Dick? Eu várias vezes. Inclusive num dia de promoções loucas o encontrei pela metade do preço, fiquei ainda mais louca e comprei. Não li até hoje. É um dos clássicos que tenho e nunca li. Me envergonho, não nego, … Continuar lendo Bartleby, o Escrivão

Sobre (não) estar sozinha nesse mundo

Alguém me fez a clássica pergunta no bate-papo do lançamento do #Fui em São Paulo: O que te inspirou a escrever #Fui? Ainda que eu tenha me esforçado, a resposta completa não caberia no bate-papo, então falei das pessoas, da minha própria experiência de intercâmbio, da vida, do universo e tudo mais, mas sei que não é o suficiente! A resposta para essa pergunta é infinita! … Continuar lendo Sobre (não) estar sozinha nesse mundo

Boneco de Pano

A policia encontrar um corpo feito por partes de seis corpos, uma jornalista recebe a lista com o nome das próximas seis vitimas, o detetive Fawkes, conhecido como Wolf, é o centro da investigação. O plot do livro de estreia de Daniel Cole (tradução de Marcelo Mendes) é o mínimo intrigante. Cole escreveu “Boneco de Pano” inicialmente como um piloto para uma série de tv … Continuar lendo Boneco de Pano