Hábitos literários

Sou dessas que tem um mar de cadernos e cadernetas que foram sendo preenchidos com pensamentos, trechos de posts, listas, enfim, anotações de todas as ordens. Peguei, desavisadamente, o meu querido moleskine vermelho e resolvi folhear. No meio de muitos escritos tinha uma lista de hábitos de leitura que foi escrita em 2010 para um projeto de post que nunca saiu do papel, resolvi corrigir … Continuar lendo Hábitos literários

“Eu nunca vi coisa mais bela…”

Eu tinha toda uma estrutura para a coluna de hoje montada, ia falar sobre a árdua escolha de próximo livro a ser lido, de como eu elaborei um complexo sistema para não ser levada por impulso ao mais novo livro da pilha. Tudo ia muito bem, o texto faltava só chegar a página e ontem tudo foi por terra quando a Portela levou aquele terceiro … Continuar lendo “Eu nunca vi coisa mais bela…”

Livro X Filme

Passei a semana toda pensando no que escrever na minha coluna de hoje, o problema que essa semana só há um pensamento em mim: OSCAR, a premiação máxima de Hollywood. Mas aqui é um blog literário, né? Então, comecei a pensar em adaptações, principalmente porque vi A Lei da Noite, filme adaptado e dirigido por Ben Affleck, baseado no livro de mesmo título de Dennis … Continuar lendo Livro X Filme

Vilões, heróis ou vítimas. Qual o papel do leitor nessa história?

Comecei esta coluna com a ideia de escrever sobre as diferenças entre o relacionamento do casal protagonista de “Cinquenta Tons de Cinza” na página e na telona. Mas outra ideia tomou conta de mim e tive que dar ouvidos. Essa ideia também começa com Grey: nos livros eu vi um monstro, um homem possessivo e abusivo e que usa seu passado trágico e o abuso … Continuar lendo Vilões, heróis ou vítimas. Qual o papel do leitor nessa história?

É preciso reler os clássicos brasileiros

“Você nunca entra no mesmo rio”, diz aquele antigo ditado. O conceito é simples, as águas do rio passam constantemente, então você jamais consegue se banhar no mesmo rio, mesmo que tenha passado apenas dez minutos do último mergulho. Uma metáfora de que todas as experiências, mesmo que com um ponto em comum, sempre serão diferentes. A mesmíssima coisa acontece com livros. Cada vez que … Continuar lendo É preciso reler os clássicos brasileiros